Africa Eco Race 2018

*AFRICA ECO RACE 2018:  TUDO DECORRE COMO PREVISTO!


  
A pouco mais de dois meses da partida do Africa Eco Race 2018, já há luz verde para que esta 10ª edição tenha início nas melhores condições, no dia 31 de Dezembro no Principado do Mónaco. Atualmente e até ao dia 15 de Novembro, data de encerramento das inscrições, há uma certa azáfama no plano organizacional. A equipa que vai enquadrar a prova está completa e a equipa da organização está a preparar o material necessário e toda a logística. Os dossiers de inscrição continuam a chegar pela internet e já podemos afirmar  que esta edição de 2018 terá um número recorde de participantes. A equipe de reconhecimento já regressou e anunciou ter encontrado algumas novidades muito interessantes em termos de percurso. Os acordos de transmissão de TV com os vários países estão em fase de finalização, e uma vez mais há excelentes notícias sobre as transmissões do Africa Eco Race.






É JÁ A 10ª EDIÇÃO DO AFRICA ECO RACE

O Africa Eco Race nasceu da associação de três apaixonado por África e pelos  Ralis de Todo Terreno, Jean Louis Schlesser, Hubert Auriol e René Metge, que simplesmente responderam ao apelo de Marrocos, Mauritânia e do Senegal, desejosos de que uma grande aventura de carro, moto, quad e camião continuasse nos fabulosos palcos que são estes países. Claro que tudo não foi fácil e em dezembro de 2008, a caravana do Rali apresentava uma centena de veículos e 300 pessoas. Mas a prova cresceu tranquilamente, com respeito pelas regras de segurança, pelo meio ambiente, mas também pelas populações, e desta vez serão cerca de 250 veículos e 600 pessoas que embarcarão no domingo 31 de Dezembro de 2017, em Sète.


 b662b2ee965f5865d9c79af2c15bb0fa.jpg


OS DOIS PRIMEIROS DIAS EM MENTON

Tal como no ano passado, será na cidade de Menton que terá início este Africa Eco Race 2018, uma vez que aqui decorrerão as verificações administrativas e técnicas, nos dias 29 e 30 de Dezembro. A cidade mais ensolarada de França tudo fará para acolher adequadamente os participantes. Começando pelo Gabinete de Turismo que negociou os melhores preços com os vários hotéis de Menton e colocou à disposição dos participantes uma pessoa responsável pelas reservas. A equipe técnica do município será igualmente mobilizada na preparação e organização do estádio Rondelli, para que o público possa estar tanto quanto possível próximo dos concorrentes e dos seus veículos, que no final das verificações irão para o Parque Fechado no Mónaco.





MÓNACO COMO RAMPA DE LANÇAMENTO

Domingo 31 de Dezembro de 2017, no Mónaco, será exactamente às 10:00 horas que a primeira moto partirá sob o arco do Africa Eco Race instalado no Cais Antoine 1er, em frente ao Stars'N'Bars, famoso restaurante de tradições desportivas e parceiro essencial do Rally. Um por um, cada concorrente moto, quad, auto e camião, será apresentado ao muito público sempre presente, antes de percorrer os primeiros metros neste lugar mítico do desporto automóvel, tal como os carros do Rali de Monte Carlo ou os Fórmulas 1 do Grande Prémio de Mónaco. Um grande momento de emoção no início desta aventura, tal como o será para os vencedores e finalistas, a passagem sob o arco de chegada no Lago Rosa em Dakar, no domingo 14 de Janeiro de 2018.


 

NOVIDADES NO PROGRAMA EM TERMOS DE PERCURSO

Depois de quatro semanas e vários milhares de quilómetros para percorrer as pistas de Marrocos, Mauritânia e Senegal, a equipa de reconhecimentos do Africa Eco Race regressou de África no início de Outubro com boas notícias sobre o curso 2018. Eis as impressões, ainda a quente, da equipa que escolheu o percurso da prova:


Race já está definido. A equipa de reconhecimentos partiu para o terreno por três semanas, percorrendo cerca de 6.500 km em Marrocos, Mauritânia e Senegal, para fazer os road books. Um trabalho difícil, mas com uma qualidade e precisão que permitem aos concorrentes uma confiança total quer em termos de navegação, quer na avaliação dos perigos da pista. Em simultâneo, foram realizadas inúmeras reuniões com as entidades locais, regionais ou governamentais para melhor preparar o percurso.






Depois de quatro semanas e vários milhares de quilómetros para percorrer as pistas de Marrocos, Mauritânia e Senegal, a equipa de reconhecimentos do Africa Eco Race regressou de África no início de Outubro com boas notícias sobre o curso 2018. Eis as impressões, ainda a quente, da equipa que escolheu o percurso da prova:

"Estes reconhecimentos no terreno foram muito duros na Mauritânia, pois apanhámos tempo muito quente e também porque perdemos algum tempo por causa da corrida ao ouro que está a acontecer no país. De fato, os mauritanos estão a cavar muitos buracos no deserto em busca do metal precioso, e isso cria uma infinidade de traços que levam a lugar nenhum. Apesar de tudo, estamos muito satisfeitos com o resultado, porque podemos dizer que cerca de um terço do percurso de 2018 será inteiramente novo.
Em Marrocos, mesmo sendo complicado alterar profundamente o percurso, uma vez que   atravessamos o país de norte a sul em apenas 5 dias, encontramos algumas novidades nas três primeiras etapas, enquanto que a quarta etapa para Laayoune foi bastante alterada, a quinta etapa é completamente nova. Fomos realmente até ao máximo do que é possível explorar em termos de pistas do grande Sul de Marrocos, reencontrando o traçado de uma rota que foi o auge de um grande rali que ia de Paris até Dakar!
Mas vai ser na Mauritânia, que vamos encontrar mais novidades. Começando pela tradicional especial depois da passagem da fronteira, que será 100% inédita. Haverá também etapa chamada ''500 Milhas'' disputada ao longo de dois dias, com um parque fechado entre as duas etapas. De seguida, uma etapa em laço com 350 km à volta de Amodjar, que deverá ser o momento alto da edição de 2018, tanto ao nível da beleza das paisagens, como das dificuldades. Esta etapa será composta por 95% de areia, onde os concorrentes encontrarão dunas imensas, como raramente viram nas nove primeiras edições. Além disso, a partida para uma especial no coração de um canyon incrível, onde os assistentes ficarão deslumbrados com a magnifica paisagem. Finalmente, e embora o tempo seja apertado na última etapa da Mauritânia devido à passagem da fronteira com o Senegal, ainda conseguimos alterar um pouco do percurso da especial. Ao longo dos reconhecimentos, procurámos ao máximo evitar as pedras em Marrocos e a erva de camelo na Mauritânia. Não nos foi possível evitar tudo, mas posso-vos assegurar que os participantes vão uma vez mais encontrar tudo o que procuram e que não existe em nenhum outro lugar senão em África! "








O AFRICA ECO RACE NO EUROSPORT E NA MOTORSPORT TV
A mediatização de um evento como o Africa Eco Race é obviamente essencial para os concorrentes, seus patrocinadores e os parceiros da corrida. Desde sempre o Africa Eco  Race teve sua própria equipe de produção de TV e faz transmissões diárias por satélite desde do terreno em África, de blocos de imagens feitos e produzidos no local por jornalistas, para canais de TV em vários países. As transmissões desses blocos varia de ano para ano, dependendo na maioria das vezes dos acordos feitos pelas equipas, ou da disponibilidade nas grelhas da programação das televisões. Para a 10ª edição, além dos acordos habituais, o Africa Eco Race será transmitido no EUROSPORT (59 países) e no EUROSPORT 2 (46 países), mas também na MOTORSPORT TV (40 países). Claro que as imagens transmitidas nesses canais também estarão disponíveis a qualquer momento nos seu sites na Internet. A cereja no topo do bolo em termos de internet, vai ser uma emissão em directo que será feita todas as noites desde o bivouac, e transmitido na página do Facebook do Africa Eco Race.


  


MOTUL PARCEIRA DOS "MALLES MOTOS"

Os pilotos "Malles Motos" são os verdadeiros heróis do Africa Eco Race. São pilotos de moto que participam no rali sem assistência técnica, têm uma simples mala (Malle) com as ferramentas e peças necessárias para a manutenção da moto. Um camião da organização transporta esta mala, e ainda os bens pessoais do piloto, como a tenda saco-cama, roupa, etc. Mas graças à ajuda da MOTUL, todas as noites no bivouac, o piloto pode trabalhar sob o abrigo de uma tenda, dispondo de eletricidade, mas também e sobretudo dos produtos da gama MOTUL, destinados à manutenção da moto. Uma verdadeira benção quando se sabe o quanto a mecânica sofre em África.





LÂMPADAS SOLARES PARA CRIANÇAS COM A AMADE MONDIALE


O Africa Eco Race e a Amade Mondiale, uma associação monegasca fundada em 1963 por iniciativa da Princesa Grace do Mónaco, para a proteção das crianças, vão associar-se durante a 10ª edição do Rali, para fornecer lâmpadas solares portáteis, para as crianças, das escolas rurais que não estão ligadas à rede elétrica.

Uma parceria perfeita com a abordagem eco responsável e solidária do Africa Eco Race, e o compromisso da Amade Global pela proteção e desenvolvimento de crianças no continente africano. Em primeiro lugar, porque essas lâmpadas solares são fabricadas no Burkina-Faso pela empresa Lagazel, desenvolvendo a economia local através de 100 postos trabalhos especialmente criados para essa atividade. Em segundo lugar, porque essas luzes solares permitirão que as crianças, especialmente as raparigas, voltem para suas casas à noite com maior segurança e estudem em melhores condições. Finalmente, porque essas lâmpadas solares substituirão as lâmpadas a querosene muito utilizadas na África Subsariana, que para além de serem uma causa frequente de acidentes domésticos e serem bastante caras, são uma fonte importante de gases com efeito de estufa, contribuindo significativamente para as mudanças climáticas, cada lâmpada de querosene emite uma média de 200 kg de CO2 por ano.

O ambicioso objetivo é nada mais nada menos, efectuar a entrega na Mauritânia e no Senegal, com a ajuda dos camiões do Africa Eco Race, de mil lâmpadas solares distribuídas para benefício das escolas por onde passa o Rali. Para isso, equipas, participantes, parceiros, membros da organização e todos os indivíduos que seguem o Africa Eco Race, têm a oportunidade de comprar uma ou mais luzes solares, por um preço unitário de 20 €, através de uma doação diretamente no site da Amade.

Para além da fase de distribuição, será dada especial atenção à sensibilização das crianças e das famílias sobre o uso e a manutenção dessas lâmpadas (a Lagazel é o único fabricante a garantir um período de 5 anos de vida das suas baterias), bem como monitorizar o impacto em termos do acesso à educação. No que diz respeito à comunicação, a Amade Mondiale e o Africa Eco Race farão uma reportagem de vídeo que ilustrará as campanhas de distribuição de lâmpadas durante a passagem do Rali, bem como fotografias das crianças beneficiadas.



988895db6c5576357676d71a63588b9c.jpge238c4a96f5f3f21b989691689227f59.jpg


Photos : Nicolas Reméné, Alain Rossignol, Jorge Cunha, Alessio Corradini, Fina Roman, AER

 

CONTACTO

AFRICA ECO RACE

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
 

 

Partilhe este artigo

O TTVerdePT é um portal pessoal, independente e sem fins lucrativos. Decidimos ser este o "tempo certo" para "ENCERRAR" o actual ciclo e "RECONVERTER" o TTVerdePT. Assumimos agora, como "missão principal", a disponibilização do nosso vasto "Repositório de Memória" do que acompanhamos ao longo destes últimos 17 anos. Continuaremos a ser um "eco" participativo - agora focados no Facebook e eventualmente menos activos - nos temas que nos interessam e motivam. Rejeitamos a responsabilidade pelas informações e material gráfico disponibilizados por terceiros. Este site não se subordina aos novos acordos ortográficos, aos quais é indiferente, publicando os textos conforme as preferências dos seus autores. Setembro 2017 - A. O.


NOVAS Condições de Divulgação AQUI!

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies, que usamos apenas para fins estatísticos, de forma a podermos melhorar a nossa experiência e a sua utilização.